Open Finance
8
min de leitura
9 de outubro de 2020

O caminho para Open Banking e Open Finance

Letícia Trevisan
Analista de Marketing e Conteúdo Digital
Publicitário formado na PUC de Campinas. Trabalho no desenvolvimento de conteúdo para websites, blogs e redes sociais, produção de comunicações endomarketing e produção de palestras, workshops e eventos.
Mais sobre o autor

Open Finance é uma grande oportunidade para alavancar seu negócio, mas ninguém "lhe ensina as cordas" de como torná-lo viável. Com isso em mente, nós montamos alguns passos para que seu negócio aproveite ao máximo estes regulamentos e gere receita.

Neste post, falaremos mais sobre as oportunidades do Open Banking e Open Finance, e quais são os próximos passos para o seu negócio.

Como se adaptar a Open Finance?

Primeiro passo para Open Banking

Os regulamentos do BACEN prevêem alguns requisitos para que os dados sobre canais de atendimento ao cliente, produtos e serviços, registro de clientes e transações de clientes sejam compartilhados com o consentimento do consumidor e de forma segura, portanto, a primeira etapa a ser considerada sobre Open Finance é olhar para os regulamentos LGPD brasileiros.

Neste contexto, devido a vários aspectos legais do regulamento LGPD, ter uma governança de dados adequada é essencial para evitar o risco de vazamento de dados e para permitir novos modelos de negócios.

APIs no cenário Open Finance

Os APIs fazem parte da segunda etapa desta jornada. Eles são elementos estratégicos que permitirão compartilhar informações e dados de forma segura, otimizada e com uma melhor conexão com parceiros e clientes. É essencial ver as APIs como parte da estratégia de negócios.

"As APIs sempre estiveram presas à estrutura da arquitetura software das empresas. Ao longo dos anos, o mercado percebeu que elas são fundamentais para viabilizar novos modelos de negócios". Fábio Rosato, Diretor de Soluções da Sensedia.

Uma vez expostos seus APIs, integrando-se com parceiros, você precisa gerenciar estes APIs para garantir que tudo esteja conectado no lugar certo e com segurança.

"Open Banking é uma questão regulatória. Quando trazido e integrado aos produtos do Bank as a Service (BaaS), você realmente aplica o conceito de financiamento aberto. É aqui que você pode transformar open banking em valor". Ferrés

A segurança dos dados é a mais importante neste momento

A segurança é um item sensível e a governança é essencial, uma vez que os riscos são muito altos. Neste contexto, é necessário garantir que as práticas de segurança sejam implementadas em todas as interfaces do sistema.

Atualmente, somente os bancos com os quais temos contas têm nossas informações financeiras, mas uma vez que elas podem ser compartilhadas, precisamos ser capazes de monitorá-las e rastreá-las. Há inúmeros riscos que passam por questões legais, regulamentares, de compliance e de segurança.

A plataforma Sensedia promove a integração e garante segurança e governança para APIS, com monitoramento adequado, reduzindo os riscos de ataques e permitindo uma resposta rápida às lacunas encontradas.

Além disso, acelera a equipe de TI, removendo a complexidade das aplicações, permitindo que as equipes de desenvolvedores se concentrem no código que gera inovação para o negócio.

Uma plataforma que suporta até Open Finance

Nos unimos à Teros Pricing para oferecer ao mercado uma solução para atender às exigências do open banking - o sistema de compartilhamento de informações bancárias que será implementado em novembro no Brasil - e ir além da regulamentação.

A parceria surgiu da constatação de que a implementação de uma estratégia Open Banking precisa envolver equipes técnicas e comerciais para garantir o sucesso, combinando APIs com um modelo de negócios para Open Banking ou "Open Finance".

Acreditamos que os APIs devem expandir a distribuição de produtos financeiros, sendo incorporados ao cotidiano das empresas.

Nossa solução trará padrões de comunicação para que as empresas possam integrar, assim como oferecer novos produtos e disponibilizar seus dados com segurança, acessar outros sistemas e fomentar uma gestão que minimize o risco de troca de informações, sempre de acordo com o LGPD.

A proposta é conduzir a governança do Open Finance através de uma série de Microsserviços que complementam a tecnologia de exibição API da Sensedia, impulsionando a integração de dados no dia-a-dia dos negócios também com empresas não financeiras.

Obrigado pela leitura!