APIX
5 minutos
min de leitura
30 de agosto de 2022

CEOs destacam protagonismo da tecnologia nas empresas

Oscar Fujiwara
Analista de Marketing
Analista de marketing. Especialista em criação de conteúdo multimídia.
Mais sobre o autor

Já se foi o tempo no qual a tecnologia era apenas uma área acessória no universo corporativo. Hoje ela é essencial nas tomadas de decisão e desenvolvimento de novos modelos de negócio, conduzindo a evolução das empresas em um mundo cada vez mais conectado, digital e aberto. E ninguém melhor do que CEOs de grandes grupos para mostrar como essa transformação no mercado está acontecendo de fato.

Esse foi o tema central do painel Gestão Techintense: A inovação na mesa de CEOs, na jornada presencial do APIX 2022, no WTC, em São Paulo. A discussão contou com a participação de Curt Zimmermann, CEO do Bitz, conta digital do Bradesco; Erika Medici, CEO da AXA no Brasil, um dos maiores grupos seguradores do mundo; e Leandro Barankiewickz, CEO da consultoria de negócios Futurum TGP.

Os líderes deixaram claro como as APIs têm desempenhado papel central nas estratégias de suas empresas, se tornando um elemento chave nas agendas evolutivas de produtos e serviços. Entre as vantagens, não deixaram de mencionar a agilidade em processos e parcerias, transparência com o cliente e facilidade nas integrações.

“O céu é o limite para um profissional de TI que tem um pensamento de negócio. A tecnologia não é mais um fim, mas um meio de viabilização. Uma das diretrizes do nosso time é que todos os líderes, seja na área de operação ou tecnologia, precisam pensar em negócio”, conta Erika.

Ela ainda reforçou que observar todas as empresas que se valem de tecnologia, não somente seus concorrentes, é essencial para trazer melhorias à experiência de seus próprios clientes. “Se um cliente consegue assistir a um filme com facilidade pela Netflix, ele ou ela vai querer uma experiência muito próxima na compra de um seguro por conta dessa referência”.

Como um profissional que acompanhou de perto a transformação tecnológica do mercado financeiro, onde começou a atuar em 1988 como desenvolvedor de soluções em COBOL, Curt também destacou esse novo paradigma. “Hoje nosso produto é uma API. Estamos todos concorrendo pelas APIs que estão disponíveis no mercado, tentando facilitar a integração. Todos os squads e grupos de trabalho que se montam já começam com digital first".

Com uma carreira construída em cargos executivos e depois pivotada para o empreendedorismo, Leandro destacou a aplicação do conceito de “fazejamento” (fazer e planejar ao mesmo tempo) no desenvolvimento de soluções, levantando a questão de que “o feito é melhor do que o perfeito” em uma realidade na qual as transformações do mercado e necessidades dos usuários mudam constantemente. “Na época em que estava na 99, não havia planejamento do ano. Tínhamos uma bússola, planejávamos e fazíamos. A partir daí é que há a disrupção e o hyper growth, crescendo 20-30 vezes no mesmo ano. Mas isso também gerava muitos erros e aprendizados, que poderíamos ficar aqui discutindo o dia inteiro”.

Quer conferir o painel completo e saber como a presença feminina no mercado de TI está impulsionando negócios? Clique aqui!


Obrigado pela leitura!