Open Insurance
5
min de leitura
25 de junho de 2021

O que é Open Insurance e o impacto no mercado de seguros

Hecktor Colombo
Content Creator
Estudante de Marketing e Jornalismo na Estácio de Sá, no Rio de Janeiro. Criador de conteúdo para blogs, redes sociais, websites e produtor de textos jornalísticos.
Mais sobre o autor
O que é um seguro aberto

O mundo está cada vez mais Open e, ao que tudo indica, essa é a nova realidade para os próximos anos. Após o lançamento do Open Banking, já em vigor desde janeiro de 2021, agora é a vez de colocar em ação a mesma ideia, só que voltado para o mercado de seguros, por meio do Open Insurance.  

Focado em ampliar o poder de decisão do cliente, essas iniciativas possibilitam maior variedade na oferta de produtos, à medida que se torna possível o compartilhamento de informações entre as instituições.

Só que, para essa troca acontecer entre as seguradoras, é necessário que haja o aval dos usuários, autorizando o uso dos dados obtidos em cada empresa. Para saber mais sobre essa nova medida, continue a leitura e entenda o que é e quais são suas fases de implementação.

O que é um seguro aberto

O que é Open Insurance?

Sua definição pode ser lida como um conjunto de regras e ações pensadas para dar maior abertura ao mercado de seguros. Se na teoria já parece bom, na prática fica ainda melhor. O Open Insurance se trata de promover segurança de dados, variedade de ofertas, menores preços e acima de tudo, inovação.

Tudo isso significa maior transparência e inclusão financeira dentro desse mercado, uma vez que os produtos se tornam mais flexíveis e customizados para a situação de cada cliente. Assim, proporcionará também, maior concorrência entre as seguradoras e um mercado de seguros mais aquecido.

Por exemplo, o consumidor, sendo o dono das suas informações, ao buscar a contratação de um seguro, irá decidir se os dados que estão em uma empresa X poderá ser compartilhado e usado por uma empresa Y, a fim de receber uma melhor proposta para a sua necessidade.

Além desses pontos, o Open Insurance já deve estar ligado ao Sistema Financeiro Nacional (SFN), assim como o Open Banking, fazendo parte do ecossistema do Open Finance, que busca integrar diversos setores, com o objetivo de proporcionar diversas soluções para o mercado.

Dessa forma, para que todas as etapas sejam feitas com segurança e pensando na melhor experiência do usuário, o uso de APIs em seguradoras são fundamentais para as estratégias do Open Insurance, pois garantem uma padronização aberta durante todo e qualquer processo.

Quais são as fases de implementação? 

Segundo a Susep, que regula o mercado de Seguros no Brasil, esse processo está programado para acontecer em 3 fases, já com o início em 2021 e fim previsto para metade de 2022. Entenda cada uma delas abaixo.

O que é um seguro aberto

Fase 1

O primeiro ato desta proposta deverá acontecer no dia 15 de dezembro de 2021. Nesse momento, as grandes empresas de seguro passam a abrir seus dados gerais relacionados aos seus produtos, como: preços, tipos de ofertas e condições de negociação. Vale ressaltar que nessa etapa ainda não serão compartilhadas as informações dos clientes.

A partir dessa fase, o uso de APIs são necessários para ligar as interfaces de diferentes sistemas das sociedades participantes, além de se comunicar diretamente com o Susep, enviando métricas e performance relacionados a canais de atendimento, produtos e serviços.

O que é um seguro aberto

Fase 2

Após mais de cinco meses de intervalo, a segunda etapa começa no dia 31 de maio de 2022 e envolve a troca de informação dos usuários pelas empresas. Isso significa que, com o consentimento do cliente, uma determinada segurada X poderá solicitar informações presentes na seguradora Y, com o intuito de criar uma oferta mais interessante do seu produto.

O que é um seguro aberto

Fase 3

Na fase final, que acontecerá a partir do dia 31 de julho de 2022, as empresas participantes poderão iniciar o contato com seus clientes oferecendo produtos e serviços com foco na melhoria da experiência de seus consumidores com a instituição.

‍Garantir um mercado mais democrático e empático com os consumidores é um dos pilares do Open Insurance. Por isso, com toda a integração proposta pelo Open Finance, trazer mais soluções para pessoas de diversas situações faz parte de um futuro mais inclusivo e aberto, além de impulsionar o desenvolvimento econômico e integrado do mercado de seguros.

Obrigado pela leitura!