Varejo
10
min de leitura
6 de janeiro de 2022

A importância das APIs no varejo - Parte I

David Roldán Martínez
Arquiteto Sênior de Soluções
Especialista em Open Banking, Open Finance, Open Data, e outros setores relacionados à Economia Aberta. Posso ajudá-lo a atingir seus objetivos comerciais avaliando seus processos e infra-estrutura de TI e orientando-o para melhorá-los e otimizá-los.
Mais sobre o autor

O setor de varejo está buscando novas maneiras de obter lucro com a utilização de dados e conexão de sistemas para aprimorar a experiência dos clientes e funcionários, impulsionar novos canais de receita e obter uma vantagem competitiva. As APIs são o mecanismo propulsor dessa transformação digital.

Nesta série de dois artigos, explicaremos por que e como os varejistas estão usando as APIs com o objetivo de fortalecer a vantagem competitiva.

As APIs abertas estão sofrendo um aumento exponencial nos últimos cinco anos. Esta tendência não é aleatória e reflete que os varejistas estão buscando novas maneiras de ampliar os dados disponíveis para estabelecer novas formas inovadoras de competir no mercado. Os principais varejistas estão reconhecendo que o setor se tornou muito competitivo, em parte devido a inovações tecnológicas, clientes mais exigentes e mudanças no comportamento de compra. A capacidade de um varejista de se adaptar e responder a esses desafios é fundamental para sobreviver no setor.  

Os números comprobatórios estão em quase toda parte. Um relatório recente da Deloitte evidenciou que 60% das compras são impactadas por interações digitais. O relatório “State of API Economy 2021” do Google mostrou que 32% das organizações relataram que aumentaram os investimentos em transformação digital, enquanto 16% afirmaram que mudariam completamente as estratégias para se tornarem empresas digitais. Além disso, no início de 2021, as vendas on-line (Figura 1) já atingiram níveis anteriormente previstos para 2022, e as APIs se tornarão a base para a resiliência e o crescimento dos negócios no varejo nos próximos cinco anos.  

Figura 1: Evolução das vendas no varejo de 2018-2024 (fonte: eMarketer)

A pandemia também acelerou esta digitalização. Por exemplo, uma pesquisa global da McKinsey mostra que a adoção digital de consumidores e empresas progrediu cinco anos em apenas oito semanas! Se há algo que 2020 comprovou é que o progresso digital não precisa levar anos.

Aprofundando-se na visão mais tecnológica dessa transformação, a API e as tecnologias relacionadas estão no centro desse olho de furacão, uma vez que permitem que os varejistas inovem em toda a cadeia de suprimentos, em vários sistemas e canais de distribuição, de forma que as experiências digitais modernas possam ser desenvolvidas com base em uma variedade de dados e funcionalidades por:

  • Investir em estratégias de varejo omnicanal: omnichannel significa ser capaz de favorecer as interações com os clientes (não apenas as compras, embora sejam o principal objetivo da jornada do cliente), sejam essas interações por meio de dispositivos móveis, Internet ou presencialmente nas lojas, entre outros (veja a Figura 2).

A pesquisa mostra que, até 2030, cada pessoa terá 15 dispositivos conectados (que podem incluir qualquer aparelho, de lâmpadas a cafeteiras, fones de ouvido, TVs, sistemas de segurança, tecnologias vestíveis, carros autônomos e muito mais) e preferirá consultar a maioria deles ao realizar uma compra. Por exemplo, imagine ver um item no quiosque multimídia localizado em um dos cafés do shopping que você está visitando e depois verificar as redes sociais pelo smartphone para obter feedback de seus amigos, reservar aquele item pelo laptop e finalizar a compra na loja.

Figura 2: Canais digitais e evolução da experiência do cliente (fonte: Sensedia)

  • Proporcionar uma experiência de varejo personalizada: a personalização envolve os varejistas dando sugestões aos consumidores com base no gosto pessoal, localização, histórico de pedidos e pesquisas anteriores usando, por exemplo, tecnologias como a Inteligência Artificial.
  • Atender à crescente cultura do imediatismo: alguns estudos dizem que o tempo de resposta esperado após uma solicitação do consumidor passou de 10 dias para 10 minutos. Ser capaz de responder nesse curto período de tempo ou até mesmo antes é desafiador. Para tanto, os varejistas devem ter uma cadeia de suprimentos eficiente que suporte alguns desses serviços, como apresentar e atualizar o estoque em tempo real, reabastecer o estoque rapidamente, oferecer serviços de entrega no mesmo dia, montar armários entregues e fornecer entregas programadas.  
  • Adoção dos pagamentos digitais: o uso da carteira digital como método de pagamento demonstra que há uma demanda crescente dos consumidores por métodos de pagamento flexíveis (veja a Figura 3).  
Figura 3: Evolução dos pagamentos digitais (fonte PaymentCM LLP)

  • Expansão para mercados emergentes: a tecnologia removeu barreiras espaciais e facilitou a conquista pelos varejistas de mercados internacionais e emergentes que, sem seguir uma estratégia digital, seriam de difícil alcance.
  • Gestão de APIs: à medida que os programas de API crescem e começam a potencializar aplicativos críticos para os negócios e experiências de front-end com APIs, é necessária uma maneira eficaz de gerenciá-los e dimensioná-los. É aqui que a Sensedia pode ajudar.

Essa enorme quantidade de mudanças não será possível sem expor dados ocultos armazenados em vários sistemas e aplicativos (aplicativos para dispositivos móveis, plataformas de estoque etc.) e a maneira natural de arquitetar uma transformação digital desse tipo é adotar uma estratégia de API eficaz que amplie o engajamento com os clientes, agilize os processos de negócios, forme novas parcerias e crie novos canais de receita.

O que vem a seguir?

No próximo post, descreverei alguns estudos de caso de varejistas que adotaram uma estratégia API. Fique atento!

_

Referências

“The new digital divide: The future of digital influence in retail“, disponível em https://www2.deloitte.com/us/en/insights/industry/retail-distribution/digital-divide-changing-consumer-behavior.html e último acesso em 09/30/2021.

“State of API Economy 2021 Report”, disponível em https://pages.apigee.com/rs/351-WXY-166/images/Apigee_StateOfAPIS_eBook_2020.pdf e acessado pela última vez em 30/09/2021.

“US Ecommerce Growth Jumps to More than 30%, Accelerating Online Shopping Shift by Nearly 2 Years” disponível em https://www.emarketer.com/content/us-ecommerce-growth-jumps-more-than-30-accelerating-online-shopping-shift-by-nearly-2-years e último acesso 09/30/2021

“Consumer sentiment and behavior continue to reflect the uncertainty of the COVID-19 crisis”, disponível em https://www.mckinsey.com/business-functions/marketing-and-sales/our-insights/a-global-view-of-how-consumer-behavior-is-changing-amid-covid-19 e acessado pela última vez em 30/09/2021

"Top Emerging 5 Retail Industry Trends", disponível em https://www.mulesoft.com/resources/api/top-retail-industry-trends e acessado pela última vez em 30/09/2021

"A inevitável ascensão e subida da carteira digital", disponível em https://www.paymentscardsandmobile.com/the-inevitable-rise-and-rise-of-the-digital-wallet/ e acessada pela última vez em 30/09/2021


Obrigado pela leitura!